A Esmeralda Lunar

Era uma vez, no sítio do Pica-Pau Amarelo, quando faltavam três dias para o menino Pedrinho chegar. Ele iria passar quarenta dias no sítio de Dona Benta, sua avó.

Três dias depois, logo que Pedrinho chegou, ele disse assim

- Vó, eu acabei de ler um livro do Julio Verne, no qual ele ia para a Lua fazer uma coisa que no livro se chamava : "The mistery of the Emerald of the Moon" e aí ele achava uma esmeralda e depois matava o monstro que tinha quatro olhos, etc...

Depois de meia hora, contando a história, Pedrinho disse que queria fazer a aventura que Julio Verne fez em seu grande livro ! Dona Benta deixou esclarecidíssimo que Pedrinho não iria para a Lua, mas Pedrinho insistiu e foi falar com o Visconde, que era o mais aventureiro da turma sem contar com o próprio Pedrinho. Visconde aceitou e foi chamar a Narizinho que estava no gramado com a Emília, e as duas aceitaram a idéia com muito prazer. Narizinho e Emilia foram chamar o resto da turma com duas exceções : Tia Anastácia, a empregada medrosa e Dona Benta, que só ficariam sabendo quando a turma já houvesse saído, porque eles deixariam um bilhete.

Um dia depois, toda a turma resolveu se reunir embaixo da figueira brava para combinarem sua viagem para a Lua. Logo que chegaram Pedrinho tirou um papel do bolso, apoiou-se na figueira e começou a ler o que estava escrito no papel. Ele dizia assim:

- Bem turma nós teremos que fazer uma nave, comprar as roupas de astrounauta e ir embora em dois dias fazendo com que ninguém desconfie.

Dois dias depois...

- Pedrinho entregue logo este bilhete para a Tia Anástácia e para a Dona Benta, dizendo que voltaremos daqui a um mês da Lua, senão a nossa nave vai parar de fazer brumbrum ! - disse Emilia.

Pedrinho que não era nada bôbo, disse para a Emília, assim

- Emília se parar de fazer brumbrum ( barulho do afogador ), ela iria "morrer" e aí, demoraria mais quinze minutos para ligar. Pedrinho acabou o bilhete assim : "Não desmaiem ao acabar de ler o bilhete. ass: Pedrinho.

Três horas depois...

- Óia sinhá ! Um Mete do Pedrim pró cê! - disse Tia Anastácia. - Deixe-me ver! - disse Dona Benta muito curiosa.

De repente a velha caiu dura ! ! Tia Anastácia, que era muito curiosa também leu e em seguida caiu em cima da outra velha.

Na nave do sítio...

- Emília, Visconde, Narizinho, Jeca Tatu e Rabicó ! venham cá, eu estou vendo a Lua ... pelos meus cálculos nós chegaremos lá daqui a aproximadamente uma hora!! - disse Pedrinho.

Uma hora depois...

- Chiiiii! Crekt ! - foi o barulho da nave pousando na Lua. Pedrinho foi o primeiro a por a roupa de astronauta e descer para pisar no nunca tocado por terráqueos, solo lunar. Narizinho foi a segunda. Emília, muito chateada por não ter sido a primeira, ficou em terceira, Rabicó em quarto e por último Jeca Tatu, que ficou impressionadíssimo com a pouca gravidade.

Logo Pedrinho viu uma caverna e ficou curioso. Quando entrou nela tomou um baita susto ! Ele havia visto a mais bela e única esmeralda de toda a sua vida ! ! ! Ela era grande, verde, porém nem um pouco lapidada. Pedrinho ficou muito ansioso para levá-la para o sitio, porém ela estava grudada no chão, mas isso não os impediria, já que eles tinham mais quatro dias para escavar a grande pedra verde.

Pedrinho entrou em outro buraco da caverna, mas não deu nem para ele tomar fôlego, pois um "abominável homem da lua" começou a perseguí-lo. Ele pegou o resto da turma e foram embora, mas o monstro de quatro olhos conseguiu se agarrar na nave, porém o piloto Pedrinho, conseguiu balançar a nave até o monstro cair, e eles voltaram tristes para casa por não terem pegado a pedra.

Quando eles chegaram em casa, Tia Anastácia e Dona Benta ainda estavam desmaiadas e eles se sentiram muito culpados por não terem obedecido a vovó.

 

voltar | home